Haus: a nova Uber para o ramo imobiliário?

Garrett Camp, um dos criadores originais da aplicação para smartphones Uber - a qual facilita a partilha de transporte de passageiros concorrendo com os táxis tradicionais - está a centrar a sua atenção no ramo dos negócios imobiliários. 

Haus é o nome da nova aplicação em desenvolvimento e segue o mesmo principio da partilha de serviços através da web, só que desta vez orientada para os compradores, vendedores de casas e agentes imobiliários. A diferença está em que todo o processo se centra na oferta, ao invés de na procura de casas.

O co-fundador da Uber, Garrett, anunciou o seu mais novo projeto: "uma plataforma aberta e justa para a compra e venda de casas no mercado residencial", que irá assumir a forma de uma aplicação móvel, sob a égide da sua empresa, a Expa Studios.

Garrett acrescentou: 

"Num momento em que tudo é digitalizado, o processo de negociação da oferta ainda depende fortemente de papelada e não incorpora a tecnologia digital moderna. Haus vem ajudar compradores, vendedores e mediadores a operar com maior eficiência.

A plataforma simplifica as comunicações entre todos os agentes, reduz a ansiedade e possibilita uma melhor experiência em termos globais.

A ideia consiste em simplificar todo o processo. Com Haus, os compradores e vendedores serão capazes de simplificar as suas interações: os compradores podem monitorizar o estadoinfo-icon da sua oferta e os vendedores serão capazes de visualizar todas as ofertas, mal estas sejam submetidas. A App também gere a maior parte da logística associada à oferta, permitindo que os consultores e os mediadores possam ocupar o seu tempo com tarefas mais importantes.

Este projeto tem suscitado algumas dúvidas vindas de diversas fontes, pois o facto de as ofertas serem anónimas, pode levar a situações de especulação por parte dos interessados, de modo a manipular o preço final de venda de uma casainfo-icon.

Na apresentação que a TechCrunch fez do HausJordan Crook afastou a preocupação de que esta nova plataforma venha a concorrer de forma desleal, com a forma tradicional de operar no ramo imobiliárioinfo-icon

Haus será mais uma ferramenta complementar para os mediadores e não um substituto dos mesmos. Angariar ofertas de casas e divulgá-las é um processo muito lento e manual, se usarmos a experiência bem sucedida da Uber, será muito mais eficiente para os consultores usarem uma plataforma para coordenar todas essas informações de forma automática.

Benefícios para o Mediador Imobiliário

  • Comparar ofertas "side-by-side", sem tratamentos de dados e sem complexidade: acesso on-line aos preços de forma imediata e às condições de venda, através de uma tabela;
  • Fornecer aos vendedores as informações que eles querem de imediato: os vendedores de casas obtêm atualizações e acesso às ofertas, de forma imediata;
  • Poupar tempo e ser mais eficiente: menos burocracia e comunicação instantânea.

Benefícios para o Vendedor

  • Informação instantânea, sem esperas, para acompanhar tudo o que se passa com a sua casa: notificações de texto e acesso online a preços e condições;
  • Gerar interesse e criar urgência na venda da sua casa: os compradores interessados são notificados mal sejam feitas novas ofertas (sem preço, prazos ou detalhes);
  • Aceitar e mudar as condições de uma oferta online, de forma fácil, através da assinatura digital: formulário da oferta e adendas podem ser assinados digitalmente na plataforma.

Benefícios para o Comprador

  • Saber o estado em que se encontra: passa a ter acesso a outras ofertas, após ter enviado a sua;
  • Gerir a sua oferta on-line: enviar e atualizar uma oferta on-line, sem trocas de papelada;
  • Ter uma oportunidade justa: o nome do comprador é anónimo na tabela de comparações, de modo a que o foco esteja sobre a oferta e não sobre o comprador.

Bom, face à polémica que as novas plataformas de partilha: Uber, Airbnb, etc. têm suscitado, não espero menos do Haus. Mas ainda é cedo e muitos pormenores ainda não foram explicados, para se poder fazer já um balanço. Aguardemos pois...

244 leituras