Algarve - Casas de Luxo em reconstrução

As notícias recentes acerca do negócio de reconstrução de casas de luxoinfo-icon no Algarveinfo-icon, após a sua demolição, parecem confirmar que o "boom" recente do imobiliárioinfo-icon em Portugal se está a expandir para novos horizontes.

As novidades vindas do sector da construçãoinfo-icon civil apontam para uma recuperação significativa especialmente nas zonas "prime" do Algarve: Quinta do Lago, Vale do Lobo e Vilamourainfo-icon.

Segundo o Jornal o Público:

Desde o último trimestre do ano passado e primeiro trimestre de 2016 foram vendidas, no Vale do Lobo, 70 moradias - a maior parte das aquisições com o objectivo de deitar abaixo e construir de novo. Em casas com 20 ou 30 anos de idade, quando se pretende adquirir novos níveis de conforto, aconselham os técnicos, não compensa o restauro. É mais fácil (e às vezes mais barato) construir de novo. 

Quando falamos de casas de luxoinfo-icon, cujos valores andam na ordem dos milhões de euros a localização é um factor primordial, assim para este segmento de mercado, torna-se atraente a opção de aproveitar o terreno e respetiva localização e construir de novo. Com a assinatura de arquitectos cuja visão estética é garantia de modernidade/charme é mais fácil angariar clientes para este sector.

As demolições para construçãoinfo-icon de resorts de luxo são também uma opção quando escasseia a oferta de casas novas. No empreendimento turístico Vilamourainfo-icon, segundo o administrador do grupo Enolagest, Reinaldo Teixeira. “há falta de produto novo [habitaçãoinfo-icon] para venda”, Segondo este empresário, ligado a cerca de 40 empresasinfo-icon de serviços na região (incluindo a imobiliária Garvetur), “há projectos em pipeline para avançar”, referindo-se aos planos que o fundo imobiliárioinfo-icon Lone Star apresentou para Vilamoura. Recorde-se que a Lusort, empresa espanhola que detinha os ativos imobiliários de Vilamoura - os já existentes e os terrenos ainda por construir - e também a concessão da marina de Vilamoura, foi vendida em 2015 aos norte-americanos Lone Star por cerca de 200 milhões de euros.

408 leituras