Carnide

Localizada no extremo norte do concelho de Lisboa, Carnide é uma das maiores freguesias da cidade, em extensão e em população. Apesar de ser uma das mais antigas, só foi integrada no perímetro urbano em 1885.

Tradicionalmente rural, foi envolvida, nos últimos anos, no próprio processo de crescimento urbano da capital, de uma forma acelerada e nem sempre uniforme e corretamente programada. É, por isso, uma freguesia de contrastes – entre o velho e o novo, o antigo e o moderno, o urbano e o rural. 

Confinada a norte e noroeste pelos limites tradicionais da cidade de Lisboa e a sul pela Av. General Norton de Matos (Segunda Circular), a ocidente S. Domingos de Benfica e a oriente a freguesia do Lumiar. Com 22.415 habitantes (Censos 2011), a freguesia de Carnide encontra-se distribuída por diversos bairros:

  • Bº. Padre Cruz - 6.468 habitantes
  • Telheiras - 3.401 habitantes
  • Quinta da Luz - 2.814 habitantes
  • Horta Nova - 1.669 habitantes
  • Bº. Novo de Carnide - 1.319 habitantes
  • Centro Histórico e zona envolvente - 1.241 habitantes
  • Quinta do Bom Nome - 1.219 habitantes
  • Epul Jovem - 985 habitantes
  • Parque Colombo - 973 habitantes
  • Praça Rocha Martins / Rua Vergilio Martinho / Augi Torre do Fato - 827 habitantes
  • Estrada da Luz - 669 habitantes
  • Quinta das Camareiras - 592 habitantes
  • AUGI Azinhaga Lameiros - 238 habitantes

Ponto de Interesse

A feira da Luz - Ligada à tradicional romaria que se realizava anualmente, em Setembro, no Santuário da Nossa Senhora da Luz, a feira era complemento das festividades religiosas que duravam vários dias, atraindo numerosos forasteiros da capital e arredores. Embora se possa considerar tão antiga como o próprio culto e remonte, certamente, à Idade Média, foi durante os séculos XVI e XVII que começou a adquirir maior projecção.

Igreja da Luz - A Igreja projetada por Jerónimo de Ruão em 1575 e terminada em 1596 (ano que se transladou a imagem), a custos da Infanta Dona Maria, era um vasto templo maneirista de influência italiana, com fachada monumental de dois pisos rematada por balaustrada corrida e sem torres. A partir de 1918, a Igreja, reintegrada na sua expressão atual, passou a sede da paróquia de Carnide, em substituição da de S. Lourenço. As ruínas das antigas dependências foram parcialmente demolidas, permitindo a formação de um pequeno adro.

Igreja de S. Lourenço - O terramoto de 1755 deixou a primitiva igreja, construída em 1342, muito arruinada e teve novamente de ser reconstruída. Da época inicial, restam apenas alguns vestígios medievais integrados em reedificações posteriores e a própria estrutura espacial. A reconstrução pós-terramoto reintegrou o edifício, introduziu retábulos de talha dourada nos altares e enriqueceu a coleção de azulejos com a colocação de novos painéis alusivos à vida do patrono S. Vicente. As obras só terminaram em 1808 com o arranjo do adro e a colocação do cruzeiro.

Convento de Santa Teresa - Situado na Rua do Norte, nos limites da antiga aldeia de Carnide, foi fundado em 1642 pela Infanta Dona Micaela. Destinava-se a freiras carmelitas descalças. Com claustro e igreja de uma só nave, a fachada é sóbria, mas os interiores apresentam aspetos requintados, como as pinturas da igreja, atribuídas a Inácio Oliveira Bernardes e a José da Costa Carneiro e os painéis de azulejos polícromos e azuis e brancos colocados nos séculos XVII e XVIII. Contrastando com a austeridade da fachada, os interiores têm espaços e decorações barrocas. Atualmente, funciona como lar da terceira idade.

Convento de S. João da Cruz - Fundado em 1681 para padres carmelitas a norte do atual Largo da Luz, nas proximidades do Santuário, era um grande edifício que chegou a abrigar 600 moradores, entre professores e trabalhadores. Nele está hoje instalado o Instituto Adolfo Coelho. Era também conhecido por Convento do Carmo de Carnide e, juntamente com a Igreja da Luz, destacava-se pela imponência e volumetria.

Seminários Franciscanos - Adquirida pelos padres franciscanos ao proprietário Jacinto José Oliveira, em 1939, foi adaptada à funcionalidade da vida religiosa sem perder a sua personalidade. O palacete fora construído em 1878, com uma fachada neoclássica e interiores requintadamente decorados com motivos naturalistas e revivalistas, num exotismo romântico típico da época. No conjunto dos equipamentos distribuídos pela quinta, destacam-se as antigas cocheiras com fachada neogótica. Já nos anos sessenta do nosso século, foi construída a moderna capela, com base no Projeto do arquiteto Norberto Correia.

Antigo Hospital da Luz e atual Colégio Militar - No sítio do antigo hospital mandado construir para o apoio aos peregrinos do santuário no século XVI, ergue-se hoje o Colégio Militar, instalado no início do século XIX. A construção do hospital também foi custeada pela Infanta Dona Maria que deixou em testamento bens e rendas para a manutenção. Inaugurado em 1618, tal como a primitiva ermida, o primeiro hospital pertencia à Ordem de Cristo, por doação régia de D. João III, em 1543. Esta era a primeira estrutura de acolhimento dos peregrinos e chegou a receber doentes da capital atingidos por epidemias e febres.

Mapa: 
Atualizado em: 
14. Julho 2021
 
9 leituras

Siga-me nas redes sociais