Tipologia

A Tipologia de uma Habitação serve para designar o número de quartos assoalhados de uma casa, bem como a estrutura e a divisão das áreas. Ou seja "T" de tiplogia e "1,2,3,4" é o número de assoalhadas.

Tipologias de Habitação

O que são assoalhadas?

Assoalhada é o termo utilizado para designar as divisões de uma casa, excepto a cozinha, quarto de banho ou despensa. Ou seja, são assoalhadas os quartos, as salas de estar e de jogos, a biblioteca, o escritório, etc. A origem do termo está associada às divisões de ums casa cujo chão possuia soalho de madeira. 

O que significa um T0, T1, T2, T3, T4, T5 ou T6?

Do ponto de vista da caracterização de um imóvel é habitual recorrer-se à tipologia baseada na designação T(n), em que  é o número de quartos. P.ex. T3 é o termo usado para designar uma casa com 3 quartos e uma sala. Ou seja, as restantes divisões: salas, cozinhas, casas de banho, espaços de arrumo, não contam para efeitos desta designação. Como alternativa ao Tn, também se usa o número de divisões, para descrever a tipologia de uma habituação (p.ex. na Caderneta Predial), sendo que neste caso as salas já entram. Assim, p.ex. um T3 possui quatro divisões: 3 quartos e uma sala.

No caso de um apartamento, as tipologias podem ser: T1 (1 quarto), T2 (2 quartos), T3 (3 quartos), T4 (4 quartos), T5 (5 quartos), etc. T0 também é designado por "estúdio", termo usado para se referir a uma casa que não possui qualquer quarto separado, ou seja apenas possui uma divisão (que funciona para as duas funções: quarto e sala), mais uma cozinha e WC.

Também é habitual encontrar a designação T2+1, sendo que o "+1" serve para indicar mais uma divisão (que pode ser um anexo (p.ex. uma marquise), a cave, ou um sótão que tenha sido convertido num quarto.

Por outro lado, embora menos frequentemente, podemos encontrar a designação correspondente V1, V2, V3, V4, etc. que significa o mesmo que T1, T2, T3, T4, etc., sendo que esta terminologia está associada à designação em desuso de Vivenda (atualmente substituida por Moradia). Esta designação ainda é usada, mas mais por profissionais da engenharia e projetos do que por profissionais ligados ao ramo imobiliário, os quais utilizam a terminologia T(n) quer se trate de apartamentos ou de moradias (vivendas).

O que diz a legislação sobre a Tipologia de Habitação

Tudo indica que a designação T(n) mencionada tem origem no Regulamento Geral das Edificações Urbanas Decreto-Lei n.º 38382, de 7 de Agosto de 1951, que entretanto sofreu uma revisão através do Decreto-Lei n.º 650/75 de 1975. Aqui podemos encontrar a seguinte referência:

5. O tipo de fogo é definido pelo número de quartos de dormir, e para a sua identificação utiliza-se o símbolo T(índice x), em que x representa o número de quartos de dormir.

Mais adiante (Art. 66.º -1) encontramos uma tabela que ajuda a compreender as restrições impostas aos compartimentos da habitação, os quais não poderão ser em número e área inferiores aos indicados no quadro seguinte:

  Número de compartimentos e tipo do fogo
  2 3 4 5 6 7 8   Mais de 8
  T0 T1 T2 T3 T4 T5 T6   Tn > 6
Área Bruta mínima (m2) 35 52 72 91 105 122 134
  Áreas em metros quadrados
Quarto casal - 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5
Quarto duplo - -- 9- 9 9 9 9 } Restantes quartos de 9 m
Quarto duplo - -- -- 9 9 9 9
Quarto duplo - - - - - 9 9
Quarto simples -     - 6,5 6,5 6,5 6,5
Quarto simples -     - - - 6,5 6,5
Sala 10 10 12 12 12 16 16 16
Cozinha 6 6 6 6 6 6 6 6
Suplemento de área obrigatório 6 4 6 8 8 8 10 (x + 4) m2
(x=número de quartos)

Outras tipologias / designações de habitações

Para além da referência ao número de assoalhadas existem outras terminologias usadas para classificar um imóvel e assim descrever o tipo de habitação, tais como:

Andar Moradia

Habitualmente estamos a falar de uma moradia (não fraccionada no registo predial) em que os diferentes pisos possuem entradas independentes, possibilitando que sejam habitados por mais do que uma família, uma por cada piso. Normalmente estamos a falar de uma moradia com dois pisos, em que uma das habitações está localizada no R/C e outra no 1º andar, sendo o acesso independente feito através de uma escada exterior ao imóvel;

Moradia Térrea

É o termo aplicado às moradias que apenas possuem um piso habitável. Este tipo de arquitetura que outrora era a mais utilizada, especialmente em casas humildes, hoje acontece exatamente ao contrário, pois o encarecimento do preço dos solos levou ao crescimento em altura das casas sendo habitual encontrar moradias de 2, 3 e 4 pisos, para além da cave/garagem;

Duplex

Esta designação é utilizada para descrever uma habitação que se encontra dividida em dois pisos, sendo a ligação entre eles feita através de uma escada interior. É usada sobretudo para apartamentos, uma vez que as moradias já possuem esta característica;

Triplex

Como o próprio nome indica, neste caso o imóvel encontra-se dividido em 3 andares;

Penthouse

Designação usada para os apartamentos que ocupam o último piso do prédio. São frações bastante valorizadas pois, além de estarem localizadas no andar posição mais alto do prédio, não possuem vizinhos por cima do seu andar e beneficiam muitas vezes de uma vista desafogada;

Moradia Isolada ou Moradia Uni-familiar

São designações utilizadas para descrever uma moradia cujo polígono de implantação possui área de terreno em todo o seu redor, ou seja a edificação não possui quaisquer paredes coladas a outros imóveis vizinhos.

Moradia em Banda

Esta designação aplica-se a uma moradia construída lado a lado com outras 2 moradias, sendo que ambas partilham as duas empenas laterais;

Moradia Geminada

Designação utilizada para descrever uma moradia que foi construída lado a lado com outra moradia. Partilham uma empena lateral;

Loft

O termo “loft” é um termo de origem anglo-saxónica e que designa um tipo de habitação disseminado a partir dos anos 50 do século passado, que combina um estilo de design e de vida (“Loft Living”), com decoração e conceito de habitação muito próprios. Nasceu nas zonas urbanas de matriz tipicamente industrial, sendo o imóvel caracterizado por um pé-direito com altura dupla e referências decorativas de estilo industrial. Normalmente são habitações adaptadas a partir de celeiros, armazéns ou outras estruturas amplas, com poucas divisões e são caracterizados por:

  • Um pé-direito muito alto, possuindo por vezes um piso mezanino;
  • Janelas grandes que oferecem ambientes interiores com muita iluminação e visibilidade para o exterior;
  • Ambientes amplos em estilo open-space, com poucas divisões, em que normalmente só o quarto(s) possui alguma privacidade (ou não), sendo que muitas vezes o quarto principal encontra-se localizado no piso mezanino;
  • Decoração de estilo rústico com referência a elementos industriais tais como tijolos não rebocados, piso de cimento, tubagem à mostra em alumínio, etc., etc.

Este tipo de habitação começou por ser mais utilizada por artistas e profissionais liberais, mas hoje o seu conceito foi integrado na restante malha urbana e é utilizado com sucesso em habitações de luxo, em muitas cidades por esse mundo fora.

Atualizado em: 
12. Outubro 2020
 
58.824 leituras

Siga-me nas redes sociais